Siga sua Carreira Profissional!

Siga sua Carreira Profissional!

Seguir uma carreira profissional sempre se constituiu em um desafio diante de expectativas, sonhos e, muitas vezes, a incerteza sobre o que seguir. Portanto, gostaríamos de começar essa reflexão a partir de um pensamento de Donald Super: “A satisfação é o mais lógico e talvez o mais importante aspecto da adaptação ao trabalho para aqueles que pretendem relacioná-la aos interesses vocacionais”. (p. 115)

A orientação profissional é, provavelmente, o caminho mais seguro diante dessas decisões. Saber fazer a escolha certa, encontrar o emprego que o satisfaça é, com certeza, uma maratona, de modo que quem for melhor orientado subirá no pódio.

Assim, a escolha de uma profissão não deve ser feita simplesmente ao acaso, aleatoriamente. Requer, sobretudo, um cuidado especial. Concordamos que a satisfação vale muito nessa escolha, entretanto, uma intervenção psicossocial, num momento de decisão para muitos, principalmente jovens que estão em um processo crucial de definição profissional, é fundamental.

É importante também observar que as empresas, bem como os profissionais, estão, cada vez mais, a procura de aprimoramento e autodesenvolvimento, cujo objetivo central é a preservação e a expansão de seus espaços.

No entanto, como melhorar sem a orientação adequada? Como encontrar espaço sem treinamento e reorientação em torno de novos paradigmas que definem as empresas deste século? De acordo com o pensamento de Super, “muitos caiem na armadilha de pensar que a psicologia ocupacional é uma simples questão de diferenças individuais e de testes, e de aplicação dessas diferenças e testes à escolha e à seleção profissionais”. (p. 133)

De acordo com esse mesmo autor, uma ocupação traduz-se naquilo que a pessoa executa. Já o termo vocação, vai mais além, é o que ele chama de a pessoa sentir-se atraída por fazer alguma coisa, construindo, assim, uma carreira numa sequência de objetivos e metas para sua vida. (Super, 1975).

Compreende-se, com isso, que a construção de uma carreira solidificada, bem sucedida, requer uma pessoa decidida, que sabe aonde deseja chegar, que tem objetivos claros e bem definidos. Em outras palavras: um projeto de vida.

Ernesto-da-Silva, citando (Super, 1975), esclarece que o foco da orientação profissional não se reduz a simplesmente ajudar o indivíduo a fazer sua escolha no mercado profissional, mas, de modo mais consistente, ser um guia que orienta no desenvolvimento das carreiras. E isso, enfatiza o autor, não se constitui em um simples processo de avaliação, mas o que conta, é o planejamento. Para (Super, 1975), fazer uma escolha profissional, não é pensar em algo parado, mas num processo dinâmico que envolve a pessoa de maneira gradativa, numa série de experiências que ocorrem ao longo da vida e que necessitam de escolhas.

 

Referências:

Ernesto-da-Silva, Carlos Roberto. (2007). Orientação Profissional: utilidade, valor e impacto na gestão carreira e na vida pessoal. (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade de Brasília – UNB – Brasília.

Super, D. E. & Jr. M.J.B. (1975). Psicologia Ocupacional. (Trad. Esdras do Nascimento e Jair Ferreira dos Santos). São Paulo. SP. Atlas.

Rivaldo Neri
Rivaldo Neri

WhatsApp chat