Arquivar 2019

Como começar sua carreira

Compreendendo a si mesmo

Sem dúvida alguma, para começar uma carreira profissional, o primeiro passo é passar por um processo de autoconhecimento. Essa descoberta é necessária para que se faça a melhor escolha.

Assim, é fundamental que se comece a pensar em nosso interesse particular, em que temos mais habilidade, bem como, nossos valores adquiridos.  Entenda que para pensar em uma carreira profissional, você precisa pensar primeiramente em si mesmo.

Mas compreenda também que esta não será uma caminhada curta e fácil. Entretanto, poder-se-á desfrutar de momentos fascinantes nesse processo de descoberta.

Neste pequeno post, deixo-lhe umas boas dicas que poderão lhe orientar neste empreendimento:

1. Não importa se você está cursando ou não o ensino médio, mas é importante considerar de quais disciplinas você mais gosta. Por exemplo, liste para si as suas últimas melhores notas, caso as lembre. Você se sai melhor em língua portuguesa, filosofia, artes ou matemática, física, química?

2. Quais seus outros interesses? É importante que você saiba que as empresas e cursos em faculdades valorizam também outras aptidões além dos conhecimentos nas matérias curriculares do ensino básico. Se você se sai bem trabalhando em equipe e não demonstra egoísmo quando é necessário realizar uma atividade com outras pessoas, isso poderá contar a seu favor. Atividades na área de lazer também podem ser relevantes para determinadas empresas, portanto, se você também dispõe de habilidade em atividades lúdicas, isso poderá melhorar o seu currículo.

3. Outro ponto demasiadamente importante é a sua motivação. O que o motiva? Considere: o que é mais significativo em sua vida? Você deseja fama e reconhecimento ou estaria satisfeito com a oportunidade de ajudar as pessoas de sua comunidade? Você está disposto a ser desafiado ou prefere a estabilidade? O que você pensa sobre sua liberdade e o seu bem-estar? Essas reflexões são, por demais importantes, para que você se autoconheça.

Por que Pessoas Motivadas fazem Sucesso?

Você é uma pessoa confiante?

As pessoas fazem sucesso não porque simplesmente encontraram com a tão sonhada sorte na vida. Decididamente quem almeja lograr êxito na vida descobriu, a duras penas, que a sorte nada mais é que um fator de preparação antecipada.

Note que em toda missão vitoriosa, seus integrantes foram pessoas extremamente qualificadas e preparadas. Assim, é mister compreender que em todos os setores da vida empresarial vence quem estar melhor preparado.

A preparação é, sobretudo, o caminho que irá lhe motivar a galgar passos vitoriosos em sua escalada para o sucesso.

Certamente pensar positivo é o primeiro passo a ser dado. Entretanto, é preciso algo mais: agir confiantemente. De fato, se você projeta algo e não acredita que dará certo, dificilmente dará. A falta de confiança em si mesmo é o que tem feito muitas pessoas desistirem de seus sonhos.

O que estamos querendo salientar é que precisamos de atitude se desejamos vencer na vida. Não importam as circunstâncias pelas quais você está passando, as atitudes são mais importantes que as circunstâncias.  

Seja qual for o problema que você esteja enfrentando, ainda que aparentemente você julgue não ter saída, não será tão importante quanto a sua postura e atitude para com esses problemas.

Para estarmos motivados a enfrentar os desatinos da vida é necessária uma boa medida de confiança. Essa postura confiante é que fará a diferença na resolução de seus conflitos. Emerson, de certa feita, declarou: “Vencem aqueles que acreditam poder vencer”.

Por que Pessoas Motivadas fazem Sucesso?

O que o psicólogo pode fazer por você!

Quando nós psicólogos abordamos o conceito psicologia, temos um olhar voltado para o que, de fato, é real e cientificamente comprovado.

Deferentemente de um leigo que age por meio do senso comum, nós procuramos enxergar o indivíduo a partir de um todo dentro de um contexto universal de vida. Em palavras mais claras, procuramos entender e compreender a história de vida de uma pessoa considerando que esta se completa com suas ações no dia a dia.

A história de uma pessoa não se restringe apenas a um momento atual de descontrole emocional. E, nesse sentido, querer compreender uma pessoa e tentar ajudá-la, sem conhecer profundamente sua história de vida, é agir pelo senso comum.

Todavia, não se conhece uma pessoa somente em um encontro em um atendimento terapêutico. Para que possamos conhecer melhor essa pessoa, precisamos fazer parte de sua história. E, a partir de uma aliança terapêutica sincera entre psicólogo e paciente é possível reconstruir juntos uma nova história que possa possibilitar ao paciente um estado emocional mais estruturado.

Quando se fala em reconstruir uma história, não estamos querendo passar a ilusão para os que sofrem de que nada está lhe ocorrendo. Muito pelo contrário. A verdadeira missão do psicólogo é ajudar o outro a encarar sua vida de maneira realista a partir das evidências concretas dos fatos.

Assim, em um primeiro momento, propõe-se uma anamnese em que se pode avaliar o estado emocional e físico do paciente passando por sua história ontogenética e filogenética. E mais que isso, passa-se a ajudar o indivíduo a ter um encontro verdadeiro consigo mesmo. Sem mascaras. É a partir desse encontro que a pessoa vai se reestruturando emocionalmente e reconstruindo uma nova história para viver.

Você estaria disposto a se autoconhecer? Desejaria abrir seu coração para você mesmo?

Aparentemente, as perguntas acima parecem simples. E de fato as são. No entanto, respostas positivas a essas simples perguntas podem expressar grandes verdades que lhe ajudarão a reconstruir um mundo emocionalmente mais ajustado para você.

Por outro lado, quando negamos a nós mesmos quem somos, o que queremos e aonde desejamos chegar, quando não temos respostas às essas perguntas, passamos a viver certos conflitos emocionais. Quando evitamos ter um encontro autêntico conosco mesmo, passamos, por vezes, a experimentar sensações de desânimo, tristeza, pouca ou quase nenhuma esperança em uma vida melhor.

Saber exatamente quem se é e aonde realmente se deseja chegar são pré-requisitos fundamentais para se ter uma vida emocionalmente mais saudável.

Você pode melhorar o seu estado emocional. Mas para isso, é preciso aceitar a encontrar-se consigo mesmo. E um bom profissional da psicologia poderá lhe ajudar nesta caminhada.


Se você deseja atendimento psicológico online entre em contato usando o formulário abaixo.

7 dicas para seu currículo!

Sete dicas importante na hora de montar o seu currículo

O que, essencialmente, não poderia faltar em seu currículo?

Se você está à procura de um primeiro emprego ou de uma recolocação profissional é muito importante que esteja atento na elaboração de seu currículo, afinal, ele é o seu cartão postal. Portanto, não deixe dúvidas acerca de sua pretensão profissional, deixe muito bem claro o que você deseja, qual o seu objetivo, ou seja, o que exatamente você deseja fazer, qual a função que pretende executar na empresa. Inclua informações relevantes que apresentem, com segurança, suas características profissionais, suas experiências e sua formação. Não deixe de mencionar os resultados positivos que você obteve em empresas anteriores ou mesmo em períodos de estágios que desenvolveu. Seu currículo, sobretudo, deve ser muito bem organizado, apresentar uma estrutura limpa e, mais importante, ainda, deve ser revisado para que se evite erros grotescos de português.

Vamos agora as sete dicas para um currículo que impressione.

Dica 01: Em seus dados pessoais não se esqueça de destacar um e-mail e número de telefone que o empregador possa lhe encontrar facilmente;

Dica 02: Deixe muito bem claro o que você sabe fazer e qual a sua área de interesse;

Dica 03: Destaque os seus principais cursos – seja de graduação ou não – mas que tenham relação muito aproximada com a área de interesse que você pretende. Destaque apenas os cursos que, de fato, contribuíram para sua formação profissional e que tenha intrínseca relação com o emprego pretendido. Neste ponto, é importante que você elabore um relato resumido de sua trajetória profissional, começando pelas suas experiências mais recentes e sempre focando nos resultados positivos. Caso nunca tenha trabalhado, faça seu resumo a partir das boas experiências de sua vida acadêmica;

Dica 04: Em relação ao seu histórico profissional, é importante destacar as datas de admissão e saída das principais empresas que passou, o cargo que ocupou, e um breve resumo que destaque o perfil dessas empresas. Caso tenha participado de projetos inovadores, não deixe de mencionar;

Dica 05: Atividades complementares: É extremamente relevante que você inclua os treinamentos e cursos que lhe ajudaram a se desenvolver melhor em sua profissão. Aqui cabem também as atividades exercidas no meio acadêmico e de cunho social;

Dica 06: Quanto ao salário, sugere-se que seja tratado pessoalmente, no momento da entrevista, ainda que no anúncio de contratação haja essa solicitação;

Dica 07: Formatando seu currículo: Não exagere na quantidade de páginas. Seu currículo deve ter, no máximo, entre uma e duas páginas. Utilize letras com fontes clássicas que facilitem a leitura, por exemplo: Arial, Times New Roman ou Verdana, tamanho 12. Elabore-o com linguagem simples. Evite a escrita em primeira pessoa. Evite também o excesso de marcações em negrito. Só mande foto se isso lhe for solicitado, contudo, cuide para que seja uma 3×4 de boa qualidade e não se esqueça de priorizar uma postura profissional.

Bem, eis acima, simples sete dicas para que você possa elaborar seu currículo. Se o seu caso ainda é a primeira experiência profissional, enriqueça o seu currículo, fazendo menção de trabalhos voluntários que tenha prestado, trabalhos acadêmicos desenvolvidos por você e que foram agraciados com honras e premiações, seus estágios ou monitorias na faculdade, atividades em centro acadêmico, empresa júnior ou comissão de formatura, entre outros.

Todavia, lembre-se de que o seu currículo é o que vai lhe diferenciar dos demais concorrentes. Ele precisa, pois, ser bem elaborado. Na verdade, ele precisa estimular o entrevistador a lhe convidar para participar de um processo seletivo. Portanto, prepare-o com muito esmero e profissionalismo.

=============

Um brinde para você: E-book gratuito “Como Definir um Projeto de Vida Hoje“. Pegue-o, clicando na imagem abaixo!

Tenha um Projeto de Vida Hoje!

Por que vale a pena ter um Projeto de Vida.

Por que algumas pessoas pensam em desistir de seus sonhos? Por que algumas não acreditam em seu potencial?

Não há uma resposta exata a esses questionamentos, uma vez que as pessoas são diferentes e se comportam também de maneira diferente diante das situações da vida. Mas talvez algo seja comum a todos nós que almejamos alcançar êxito na vida. Eu diria que todo aquele que sabe programar a sua vida a partir de um projeto, terá muito mais chances de vencer.

E VOCÊ, O QUE PENSA?

Em determinada época de minha vida, eu acalentava muitos sonhos, porém, não os realizava. E não posso negar que meu maior problema era exatamente o medo de errar, de não dar certo. Mas o que me fazia pensar assim?

Os meus pensamentos giravam em torno de: “Não vou conseguir realizar isso”, “Tudo é muito difícil”. O resultado? Só sobravam as minhas muitas lamentações. Mas o que me guiava naqueles dias? Meus próprios pensamentos.

Eu, sinceramente, me encontrava em um estado emocional bastante fragilizado. Mas espere! Nem tudo dura para sempre. Sim, é verdade. Aprendi, em tempos difíceis, que a nossa vida se assemelha a uma corrente alternada: em determinado momento atravessa uma onda com picos negativos; em outro, passa por ondas positivas. Não tenha dúvida. A nossa vida também é assim. Em alguns momentos se faz necessário passar pelas ondas negativas. Mas como sabemos, após uma noite em escuro, alegramo-nos com a manhã de sol brilhante. Há momentos em nossa vida que enfrentamos dificuldades, passamos provações e, até, privações. Mas depois, a bonança se faz presente. Sempre haverá de renascer um novo tempo para cada um de nós. É preciso que identifiquemos as crenças errôneas sobre o sucesso que vamos criando ao longo da vida.

É isso que me faz todos os dias acordar, agradecer aos céus aquele dia que tenho pela frente para viver. Como não sou profeta nem muito menos um adivinhador, não posso prever, com precisão, o que me irá suceder no decorrer do dia. Todavia, há algo ao meu alcance que posso fazer: Preparar-me para o que vier.

E é assim que vamos construindo nossa carreira de vida, nosso projeto: trocando preocupações por ocupações.

Mudando a maneira que percebemos as coisas que nos acontece, poderemos enxergar uma nova maneira de viver. Pesquisas mostram que nosso pensamento tende a moldar nosso comportamento. Quando nos decidimos por um projeto de vida autêntico, somos impulsionados a seguir nossa jornada com mais resiliência. Igualmente encontramos força e sabedoria para fazermos as melhoras escolhas na vida.

Como você tem pensado o seu projeto de vida? Como você tem feito as escolhas em sua vida? Você gostaria de se tornar uma pessoa mais otimista?

Então, nosso primeiro conselho é que você adote uma postura otimista, um espírito de confiança com uma convicção clara daquilo que deseja. Assim, passe a priorizar em sua vida o que for mais importante e significativo para você.

Se você gostou desse artigo, assista ao vídeo abaixo e baixe gratuitamente o nosso e-book: DEFININDO UM PPROPÓSITO DE VIDA HOJE!

Um forte abraço,

Rivaldo Neri – Professor e Psicólogo

Siga sua Carreira Profissional!

Seguir uma carreira profissional sempre se constituiu em um desafio diante de expectativas, sonhos e, muitas vezes, a incerteza sobre o que seguir. Portanto, gostaríamos de começar essa reflexão a partir de um pensamento de Donald Super: “A satisfação é o mais lógico e talvez o mais importante aspecto da adaptação ao trabalho para aqueles que pretendem relacioná-la aos interesses vocacionais”. (p. 115)

A orientação profissional é, provavelmente, o caminho mais seguro diante dessas decisões. Saber fazer a escolha certa, encontrar o emprego que o satisfaça é, com certeza, uma maratona, de modo que quem for melhor orientado subirá no pódio.

Assim, a escolha de uma profissão não deve ser feita simplesmente ao acaso, aleatoriamente. Requer, sobretudo, um cuidado especial. Concordamos que a satisfação vale muito nessa escolha, entretanto, uma intervenção psicossocial, num momento de decisão para muitos, principalmente jovens que estão em um processo crucial de definição profissional, é fundamental.

É importante também observar que as empresas, bem como os profissionais, estão, cada vez mais, a procura de aprimoramento e autodesenvolvimento, cujo objetivo central é a preservação e a expansão de seus espaços.

No entanto, como melhorar sem a orientação adequada? Como encontrar espaço sem treinamento e reorientação em torno de novos paradigmas que definem as empresas deste século? De acordo com o pensamento de Super, “muitos caiem na armadilha de pensar que a psicologia ocupacional é uma simples questão de diferenças individuais e de testes, e de aplicação dessas diferenças e testes à escolha e à seleção profissionais”. (p. 133)

De acordo com esse mesmo autor, uma ocupação traduz-se naquilo que a pessoa executa. Já o termo vocação, vai mais além, é o que ele chama de a pessoa sentir-se atraída por fazer alguma coisa, construindo, assim, uma carreira numa sequência de objetivos e metas para sua vida. (Super, 1975).

Compreende-se, com isso, que a construção de uma carreira solidificada, bem sucedida, requer uma pessoa decidida, que sabe aonde deseja chegar, que tem objetivos claros e bem definidos. Em outras palavras: um projeto de vida.

Ernesto-da-Silva, citando (Super, 1975), esclarece que o foco da orientação profissional não se reduz a simplesmente ajudar o indivíduo a fazer sua escolha no mercado profissional, mas, de modo mais consistente, ser um guia que orienta no desenvolvimento das carreiras. E isso, enfatiza o autor, não se constitui em um simples processo de avaliação, mas o que conta, é o planejamento. Para (Super, 1975), fazer uma escolha profissional, não é pensar em algo parado, mas num processo dinâmico que envolve a pessoa de maneira gradativa, numa série de experiências que ocorrem ao longo da vida e que necessitam de escolhas.

 

Referências:

Ernesto-da-Silva, Carlos Roberto. (2007). Orientação Profissional: utilidade, valor e impacto na gestão carreira e na vida pessoal. (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade de Brasília – UNB – Brasília.

Super, D. E. & Jr. M.J.B. (1975). Psicologia Ocupacional. (Trad. Esdras do Nascimento e Jair Ferreira dos Santos). São Paulo. SP. Atlas.

Que é Orientação Profissional

O objetivo primordial do trabalho de Orientação Profissional é conduzir quem estar indeciso por qual carreira seguir ou mesmo com o desejo de mudar ou aperfeiçoar a profissão que escolheu a tomar o rumo mais certo possível. A proposta de Orientação Profissional é aconselhar de maneira sistematizada, de modo a auxiliar o indivíduo a tomar suas próprias decisões em relação à sua carreira ou profissão. Em razão disso, o trabalho a ser desenvolvido terá como base centralizadora a promoção do autoconhecimento do indivíduo. Para isso, a proposta se dará por meio de atividades dinâmicas que visem incentivar o orientando a refletir, de maneira consciente, sobre si mesmo, suas capacidades e potencialidades bem como sobre as circunstâncias externas. Com isso, a partir de uma visão consciente e realista poderá fazer escolhas ou construir planos profissionais de melhor qualidade. A promoção do Autoconhecimento e, ao mesmo tempo, conhecer o mundo que envolve as profissões são eixos norteadores centrais para a realização de uma atividade profissional promissora. Tudo isso redundará em uma disposição da pessoa para refletir e decidir de maneira coerente e satisfatória na construção de sua carreira profissional.

A proposta de Orientação Profissional compreende o público jovem, cursando o ensino médio, que vislumbram uma vaga na universidade, bem como a população mais adulta, seja universitário ou mesmo adulto que deseja rever sua caminhada profissional com vistas a se reencontrar em sua carreira e planejar um futuro mais assegurado para si.

Rivaldo Neri

Orientação Profissional – Parte 01
Orientação Profissional – Parte 02

O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

Não há um limite pré-estabelecido de sessões para a Orientação Profissional. Isso pode variar, em média, entre 8 a 12 sessões. Em alguns casos mais específicos 4 sessões poderão ser o suficiente, ou mesmo uma necessidade de se ir além de 12 sessões. Cada caso é um caso singular. Cada pessoa reage de maneira individual.

No processo de Orientação Profissional, alguns psicólogos optam por testes psicológicos. No entanto, com o crescimento da Orientação Profissional por meio de muitas pesquisas e estudos, há profissionais que têm optado mais pelos questionários, reflexões que promovam o autoconhecimento, escalas, jogos, pesquisa de campo, dentre outros meios.

Todavia, o mais importante para um processo de Orientação Profissional é ajudar o indivíduo a se autoconhecer e, com segurança, realizar uma escolha profissional consciente e que esteja em sintonia com seu projeto de vida. Eis o porquê de a Orientação Profissional ser necessária para quem está confuso em relação a sua carreira profissional, e, como dissemos anteriormente, seja um jovem em conclusão do Ensino Médio ou um adulto que deseja mudar ou investir em uma profissão que lhe traga realização.

Psicólogo Rivaldo Neri – CRP 01/19675

Orientação Profissional – Parte 01
Orientação Profissional – Parte 02

A IMPORTÂNCIA DO PROCESSO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

A IMPORTÂNCIA DO PROCESSO DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL NA VIDA DE JOVENS E ADULTOS PARA A ESTRUTURAÇÃO DE UMA CARREIRA

Quando criança costumeiramente ouvimos nos perguntar o que desejamos ser quando crescer. De fato, essa não é uma pergunta à toa, faz sentido. Mas o tempo passa muito rápido, não é mesmo? E cá estamos nós a decidir qual a profissão escolher ou mesmo se estamos no caminho certo em relação ao que escolhemos. São dúvidas de todas as naturezas, afinal, é a nossa carreira profissional que está em jogo.

Mas fique tranquilo que para essas suas muitas dúvidas existe o processo de Orientação Profissional. E é sobre isso que iremos falar nesse breve artigo.

O QUE É ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL / VOCACIONAL?

A Orientação Profissional é feita por profissionais capacitados para orientar as pessoas acerca de qual profissão escolher. No geral, esse profissional é um psicólogo apto a conduzir um estudante de ensino médio no processo de escolha, de forma madura, a uma graduação, ou curso superior. Por outro lado, a Orientação Profissional também é útil para ajudar pessoas mais adultas que por ventura não estejam satisfeitas com a carreira que escolheram e desejam investir em uma nova profissão, ou ainda, orientar pessoas que mesmo satisfeitas, desejam crescer na carreira.

A Orientação Profissional é um processo que visa considerar os verdadeiros interesses e aptidões do orientando, esclarecendo, dessa forma, as questões primordiais que envolvem a escolha profissional.

Não se trata de algo incomum as pessoas apresentarem dúvidas e muitos questionamentos quando se é para escolher uma profissão. Essa confusão é normal e se justifica perfeitamente pelo fato de que em nossos dias há uma abrangência considerável de profissões para se optar.

E mais, profissões que outrora não eram valorizadas, hoje ganharam espaço, sem contar com as novas opções profissionais que estão surgindo neste século.

Assim, considerando essa gama de oportunidades e, ao mesmo tempo, essa multiplicidade de profissões, as questões na hora de uma firme decisão, por vezes, geram grandes confusões para se escolher a profissão certa. Nesse contexto, percebe-se que questões pertinentes partem das seguintes dúvidas:

Qual profissão devo escolher?

Devo seguir minha intuição ou o conselho e desejo de meus pais?

É melhor trabalhar naquilo que gosto ou ganhar dinheiro?

Será que meus pais ficarão satisfeitos comigo (com a minha escolha profissional)?

Devo cursar o que meus amigos estão cursando?

Devo seguir a mesma carreira que meus pais?

Considerando essa grande demanda de jovens e adultos quanto à escolha profissional, o processo de Orientação Profissional é o mais aconselhado, porque dispõe de técnicas e instrumentos apropriados que podem proporcionar uma reflexão mais madura, de modo a promover o autoconhecimento e uma decisão mais acertada na hora de escolher ou mudar de profissão.

Psicólogo Rivaldo Neri – CRP 01/19675

Orientação Profissional – Parte 01

Educação de qualidade e saúde emocional

Educação de qualidade e saúde emocional, tem sido a sua busca?

Olá! Como vai você? Eu sou o professor e psicólogo Rivaldo Neri, com quase 20 anos de experiência. Sinto-me muito feliz por receber você em nosso site, e gostaria de lhe fazer as seguintes perguntas:

Você acha possível melhorar sua vida por meio da educação e um estado emocional estruturado?

Se você acredita nessa possibilidade, você tem almejado isso para a sua vida de fato?

Se você acredita, mas não tem buscado sua paz emocional e uma educação de qualidade, convido-lhe a continuar neste site.

Nossa proposta, portanto, não é usar uma linguagem complexa ou superficial. Queremos tratar desse assunto a partir de uma linguagem simples, afinal, nossa principal meta é oferecer orientações sobre temas tão relevantes para toda e qualquer pessoa que busca a felicidade e o verdadeiro sucesso.

Como proposta fundamental deste site, nosso objetivo é instigar você a ter um verdadeiro encontro consigo mesmo. Entendemos que somente quando o indivíduo conhece-se a si mesmo, estará pronto para viver o sucesso.

Nesse sentido, procuraremos usar sempre uma linguagem fácil e direta que lhe proporcione um melhor entendimento dos temas educação e bem-estar emocional.

Sentimo-nos extremamente honrados com a sua visita. Nosso muito obrigado!

WhatsApp chat